sábado, 23 de fevereiro de 2013

O SEGREDO DO PASSARINHO PEPEU

As formigas viviam sossegadas num formigueiro. Perto delas moravam minhocas, caracóis, borboletas, aranhas. Todos muito quietinhos.
As abelhas também eram vizinhas delas. De vez em quando faziam barulho. - mas é um chiado que até dá sono – desculpava a formiga Fifi.
 
Numa bela manhã, um passarinho passou por ali. - hum... – disse ele – que lugar bom para morar! Viu uma árvore cheia de galhos. - vou fazer o meu ninho aqui – resolveu.

Escolheu um bom galho e começou a cantar. A vizinhança ficou assustada. - que aconteceu? Por que essa cantoria?
- Prestem atenção! – pediu a abelha abelhuda. Ele está agradecendo ao criador por este lugar.
- Puxa! É preciso agradecer? Perguntou, surpresa, a formiga Fafá que nunca parava pra pensar.
Umas minhocas botando a cabeça para fora de suas tocas, reclamaram: 
- silêncio! É hora de trabalhar!  e algumas formigas comentaram baixinho: 
- Hum... Vamos ter um vizinho que vai dar trabalho...
No galho, Pepeu continuou cantando. Depois de certo tempo, voou para longe... - ainda bem – disse a formiga Fefé. O silêncio tomou conta do lugar.

No outro dia, o passarinho voltou. Cantou toda a manhã, e durante a tarde, ia e vinha. - que é que ele faz de cá pra lá?- estranhou a borboleta Leleta.

Logo todos ficaram sabendo...

Quando o ninho ficou pronto, todos quiseram olhar bem de perto. - ficou legal! Elogiou a aranha Tatanha.

- forte e fofinho! – comentou a formiga Fofó, que só apreciava coisas bem feitas.

O passarinho Pepeu olhou o ninho de todos os lados. Satisfeito abriu o bico e cantou um bocado de tempo.
- está agradecendo novamente cochichou abelhuda.
Pepeu agradeceu também aos vizinhos antes de voar para bem longe.

Passou um tempão... E nada de Pepeu voltar. - por que será que ele sumiu? Preocuparam-se todos.

O silêncio tomou conta novamente do lugar, mas agora ele já não era bem vindo. - que tristeza... – queixava-se as borboletas.

- O trabalho está perdendo a graça... - estranhavam as formigas.- está faltando alegria por aqui! - choramingava as abelhas.

Pepeu voltou! Todos gritavam. - e voltou com uma companheira... - que bom! Uma dupla pra cantar ao criador!

Com o tempo as formigas, as minhocas, as borboletas, os caracóis e as aranhas também aprenderam a cantar.
- Vocês não ouvem o nosso canto porque cantamos com o coração! – explicam quando alguém reclama que não ouve a voz deles.

E maravilhoso louvar ao nosso deus cantando: isso é bom para nós e merecido para ele. Salmo 147:1

Recebi pelo Grupo de EBD Infantil (Danúbia/SP)
Fonte: Internet