segunda-feira, 1 de abril de 2013

Teatro: HÁ ESPERANÇA PARA O BRASIL


 PERSONAGENS:
  1. Brasil
  2. Região Norte
  3. Região Sul
  4. Região Sudeste
  5. Região Nordeste
  6. Região Centro-Oeste
  7. Representante dos povos indígenas
  8. Missionário
  9. Crianças [quantas conseguirmos]
  10. Voz Oculta


No Brasil há muitas riquezas e suas mazelas. Há um desafio de evangelização nacional. As pessoas precisam ouvir falar de Jesus sobre o amor de Deus

( Diguinho entra pela parte de baixo, olhando meio desconfiado.)
DIGUINHO: Eita, quanta gente! Tô cum vergonha! (desce de novo) (Sobe de novo, devagarinho.)
DIGUINHO: Inha! Vem cá, Inha!
INHA: (subindo) Ooooi, diguinho! Que é que tu quer?
DIGUINHO: Tu já visse quanta gente tem aí?
INHA: Não, não vi não... Xô vê! Eeeeita! Mininoooo! Quaaaaaanta gente! Me amassa que eu tô passada!
DIGUINHO: Num é, minina! E tu visse que o tema do Congresso de Missões é Brasil, né?
Quero que vcs crianças conheçam o Brasil e suas regiões.


Cena 1  [Toca se o Hino nacional brasileiro (instrumental)... entra o Brasil entusiasmo e cheio de expectativa - aparece o missionário e o Brasil inicia um diálogo]
>>BRASIL: Oi! Vem cá, vem cá. Tudo bem? Quem é você?

>>MISSIONÁRIO: Tudo (responde meio confuso)... Eu sou missionário da junta...

>>BRASIL: Tá, tá, tá... Você sabe quem eu sou? (fala meio eufórico)... Eu sou o Brasil, e hoje é um dia muito especial para mim; Minhas regiões virão entregar seus relatórios. Estou ansioso para saber como andam as coisas... Afinal, sou um país jovem, grande, cheio de riquezas naturais e paisagens belíssimas. Não tenho vulcões ou terremotos e meu povo é talentoso e trabalhador... Espero um futuro maravilhoso. (dirigindo-se ao Missionário) Vem cá... Senta aqui para prestigiar como as minhas regiões são maravilhosas: humm, humm, que entre a região norte.


Cena 2  [Entra o Norte não muito animado]
>>BRASIL: E aí Norte, o que você tem a me dizer?

>>NORTE: Bem, Brasil... Você sabe que eu sou a região com a maior área, porém... minha população é pequena, minha região deveria ter muita fartura, mas estou empobrecendo por causa da fome e miséria que predominam na minha região... [Brasil corta a fala do norte]

>>BRASIL: Tá bem, tá bem... Que venha a região sudeste, essa sim!!


Cena 3 [Entra o Sudeste com ar de Preocupado]
>>SUDESTE: [fala sussurrando] Ai, ai, ai, por onde eu começo?... Como vou dizer? [Respira fundo e toma coragem para falar] Trago o relatório de minha região. Economicamente, sou a mais desenvolvida do Brasil; em mim estão as maiores cidades, famosas pelo ritmo de vida... possuo cinemas, grandes shoppings e uma infinidade de atrativos, porém, toda moeda tem seus dois lados... BRASIL: De outro lado você está falando?

>>SUDESTE: Há pobreza, miséria, desemprego, uma violência assustadora, falta de moradia, crianças abandonadas... não sei mais o que fazer?

>>BRASIL: Para!! Não quero mais ouvir isso. Você me decepcionou.


Cena 4  [Brasil demonstra certa desorientação e descontentamento]
>>BRASIL: Acho que meu povo da região Sudeste anda estressado, com muitas preocupações e pouco lazer. Melhor ouvirmos o Nordeste, com suas praias maravilhosas, lá a história com certeza deve ser outra. Nordeste, apresente-se!

>>NORDESTE: Eu sou uma terra linda, com um povo amável, belas praias e tenho o meu sertão que tem um povo forte... [Brasil se alegra]... mas, que sofre muito, marcado pela seca, fome e pobreza. Meu povo anda confuso em suas expressões religiosas, há uma mistura de catolicismo com umbanda, devoção ao padre Cícero e São Francisco de Assis. Minhas maiores dificuldades são a pobreza e a miséria que tem afligido e assolado minha população... (os bichim são uma magreza só... só veno.) [ O Brasil fica estérico e nervoso]

>>BRASIL: Chega! Chega! Chega! Que venha a região centro-oeste, quem sabe onde se concentra o poder de nossa terra a situação seja melhor.


Cena 5  [Entra o Centro-oeste preocupado]
>>CENTRO-OESTE: Brasil... Minha regiões pantaneiras tem sofrido muito com as constantes inundações pelas chuvas no verão. Minha grande concentração de terra faz com que haja também numerosos conflitos pelas suas posses. A taxa de analfabetismo e mortalidade infantil são altas e a população acredita cada vez menos na força política de Brasília, por causa da corrupção. [Brasil fica indignado - andando de um lado para o outro]

>>BRASIL: Eu não acredito!! Não acredito!! Eu, um país lindo, tão jovem, ouvindo essas coisas acontecendo em meu território. O que há de errado? Ah.. já sei! Deve ser a questão da cultura, dos colonizadores. Bem... que entre a região Sul... Minha última esperança!!


Cena 6  [Brasil está meio desanimado]
>>SUL: Eu tenho a realidade um pouco diferente das outras regiões no que diz respeito à situação econômica, mas isso não quer dizer que não tenhamos também problemas e que o meu povo não passe por aflições. No campo religioso houve um crescimento espantoso do espiritismo e até os muçulmanos estão se alastrando; Eu pensei que isso fosse completar os anseios dos corações... mas criou outros piores... não sei o que fazer para meu povo ser mais feliz! [Brasil desabafando muito desanimado]


Cena 7 
>>BRASIL: Miséria, abandono, fome, má distribuição de renda, solidão... quanta tristeza! Ah! Mas faltaram os índios... [fala novamente com esperanças]... estes sim, amam a natureza, não se preocupam com dinheiro, eles sim devem ser felizes... que entre o representante dos povos indígenas brasileiros, para o seu relatório!

>>POVOS INDÍGENAS: os índios estão em sua maioria nas regiões Norte e Centro-Oeste... mas existem tribos em todas as regiões. Nós somos perseguidos pelo homem branco, que quer nossas terras, em busca de madeira e garimpo. Sofremos com problemas de doenças que matam nossas crianças, sofremos com a discriminação do homem branco, que acha que índio não é gente, não pensa e não tem coração. O alcoolismo também tem sido um sério problema entre os índios brasileiros. Não há esperança pra nossa gente![Desanimado e sem esperança - triste com a realidade]


Cena 8 
>>BRASIL: Eu desisto!!! Estava tão orgulhoso da minha grandeza, da minha beleza natural, das minha lindas paisagens, da mistura de raças... e o que ouço? Sofrimento, fome, violência, miséria... tanta tristeza!! Tanta ilusão... como eu estava iludido. Não há mais esperança para mim e meu povo. [O Brasil se ajoelha chorando]

>>VOZ OCULTA: Brasil ouça o que eu tenho a lhe dizer... [toca musica pra cima Brasil - João Alexandre]

>>BRASIL: [espera a música acabar ainda ajoelhado] Linda mensagem... mas transformar versos em realidade é difícil. Sou um país grande, gigante... e com muitas diferenças. [fala muito triste e abaixa a cabeça novamente]

>>MISSIONÁRIO: Brasil, espere! Há um povo que te ama! O povo de Deus... que está disposto a contar e repartir o amor de Jesus nas casas, nas ruas, cidades grandes e pequenas, entre os índios, entre os que sofrem, abandonados nas tuas ruas, a contar que Jesus dá vida nova, ergue quem está caído, dirige os nossos passos, carrega nossos fardos. Um povo que vai visitar os presos, os doentes, a vestir aqueles que têm frio, a dividir o pão com o faminto. Esse povo vai transforma-lo Brasil! Sua gente será feliz de verdade!

>>BRASIL: Sinto a esperança renascer em meu coração.

>>MISSIONÁRIO: Brasil, lembre-se: "Jesus é a única esperança" [entram as crianças pelo corredor e falam a uma voz: ]

>>CRIANÇAS: Povo de Deus, anuncie esta verdade!.

[Toca o hino nacional Brasileiro]


Recebi pelo Grupo de EBD Infantil (Miriam/ SP)
Fonte: http://evangelizenossascriancas.blogspot.com.br/