terça-feira, 16 de julho de 2013

Ilustração: Beto, o Carneiro



Bebeto era um carneirinho cansado de carneirice. Cansado de fazer tudo o que seu mestre mandava.
Por isso, um dia, quando ouviu chamar:
- Bééé-béééé-to, vem cortar o cabelo....

Começou a reclamar:
- Não quero cortar cabelo nenhum. Careca não está na moda. Vou embora e vou ficar cabeludo como quiser.
 Quando o pastor se distraiu, ele subiu à montanha.

No meio do caminho, ainda ouvia a carneirada:
- Béééé-béééé-t.... Bééé-bééé-to....
 Depois não ouviu mais nada.

A montanha era calma e linda, tão alta que ficava no meio das nuvens.
Então Bebeto pensou:
“Oba, nuvem é uma coisa boa pra ser. Para um carneiro esperto como eu,  não é difícil ser branco e macio, nem ficar pra lá e pra cá.”
- Está resolvido: vou virar nuvem!
Entrou no meio da neblina e pronto...
Apareceu uma nuvem nova. Uma nuvem “bebeta”.
No começo era muito divertido. Cada passeio bom!
As nuvens viam todas as coisas da terra: rios, fazendas, praias e cidades.
De vez em quando vinha um vento e mudava tudo num momento.
Bebeto acabou cansando. Não gostava de ser mandado por ninguém.

E achou melhor virar outra coisa. Mas não sabia o quê.
Em cima do mar, viu as ondas lá embaixo, cheias de espuma branquinha.
- Oba, espuma é coisa boa pra ser!
Para um carneiro esperto como eu, não é difícil ser branco e levinho, nem boiar para lá e para cá.
Está resolvido: vou virar espuma!
A nuvenzinha fez uma chuva, misturou-se com a água do mar.
E pronto: apareceu uma espuma nova.
No começo foi uma maravilha. Que lindo o mar à noite, quando a luz brilha!
E que beleza de dia, com sol, que alegria!
 Vida boa!

Um dia...resolveu ir passear:
- Dona Onda, quero ir à praia, brincar na areia!
- Não senhor, agora não. Só na maré cheia!
- Deixa de onda, dona Onda....
Mas não adiantou. E ele também se cansou.
Por isso, quando dona Onda se distraiu, ele pegou uma onda e foi até a praia.

Quando chegou lá, ouviu um choro. Olhou, olhou, e descobriu que era uma carneirinha.
- Buéééé....Buéééé....Ninguém gosta de mim....Nenhum carneiro é meu amigo...
- Será que é porque sou uma ovelha negra?
Bebeto ficou morrendo de pena da ovelhinha morena.

E viu que precisava ser carneiro mesmo.
- Bom dia, carneirinha!
Eu quero ser seu amigo. Meu nome é Bebeto.
- Bom dia, Bebeto. Eu sou Memélia.

E os dois começaram a conversar e a brincar.
E um chamava o outro:
- Mééé-mééé-lia....
- Bééé-Bééé-to....
Correram, pularam, deram cambalhotas, cantaram e dançaram:
Carneirinho, carneirão, neirão, neirão...
Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão, pro chão...
Cataram conchinhas, fizeram castelos de areia.
E ficaram muito amigos e felizes.
Depois saíram viajando pelo mundo afora.
Casaram e tiveram uma porção de filhos.
Carneirinhos pretos, brancos e malhados.
Todos levados, alegres e brincalhões.

Muito felizes por serem apenas carneirinhos!
E todo mundo gostava deles!